terça-feira, 19 de agosto de 2014

Tumulto no TAF para Guarda Portuária em São Francisco do Sul - SC


             A fim de preencher 40 vagas para Guarda Portuário no porto de São Francisco do Sul, a Administrado pelo Governo do Estado de Santa Catarina, enfrenta problemas na conclusão do concurso. Isto por que alguns concursados, reprovados no Teste de Aptidão Física- TAF, discordaram de alguns resultados e impetraram ações judiciais embargando todo o concurso.
O Blog da PPF foi procurado por alguns concursados com objetivo de auxiliar na divulgação do problema ocorrido e afim de que, autoridades tomem conhecimento da situação e haja uma intervenção acelerada na solução do problema.

“O certame era para 40 vagas de Agente de Guarda Portuária, dividido em 3 etapas, prova objetiva, teste de aptidão física e avaliação psicológica.

Os problemas ocorreram na segunda fase (TAF). O edital previa que a avaliação física seria entre 19 e 25 de maio. A banca escolheu os últimos 3 dias do prazo, 23, 24 e 25 de maio, divididos da forma como consta o anexo convocação. Sexta, dia 23, de manha, as 71 mulheres, a tarde os homens, convocados por ordem alfabética para o sábado e o domingo.

A sexta-feira 23 começou com chuva fraca, porém foi se intensificando ao longo do dia. Poucas mulheres chegaram a ir para pista molhada realizar testes, uma vez que reprovavam ainda na primeira prova (levantamento de alteres) feita em pátio coberto. Algumas chegaram a correr na pista molhada e com chuva sendo que, duas delas tiveram a prova transferida para o dia seguinte, sábado também pela manha, em função do mau tempo. Uma das candidatas realizaria todos os testes e a outra apenas o que faltava, a corrida de 2400m. O edital previa que os casos extraordinários seriam decididos pela comissão organizadora do concurso. 

A prova dos candidatos masculinos, marcada para sexta a tarde, foi transferida para o sábado pela manha, novamente motivada pelo impedimento da chuva.

Sábado, com a pista ainda foi considerada em condições para a continuidade dos testes. Iniciados os testes masculinos, atingiu-se um índice de alta reprovação na primeira prova, o que consistia na execução de 6 barras simples. Alguns candidatos inconformados, iniciaram discussões com membros da comissão avaliadora com a alegação de que consideravam não haver um padrão de movimento, sendo correto para uns e incorreto para outros. 








Os aprovados no TAF, foram convocados para a avaliação psicológica sendo o resultado final  homologado dia 03 de julho.

A partir desta publicação, os reprovados fizeram diversas reclamações no Ministério Público de São Francisco do Sul, ensejando a Ação Civil Pública que levou o magistrado a suspender o certame, dia 11 de julho, o que traria prejuízo para todo o contingente aprovado e, penalizando o início das convocações propriamente dita. 

                                                                             ***

O que a Guarda Portuária vem sofrendo nos últimos anos, é descabido para um governo sério, que prima pela lisura e se importa com uma segurança portuária digna do tratado ISPS-code.
Por todo o Brasil, onde ainda há Guardas Portuário, a falta de estrutura, é gritante, isto sem falar que a Regulamentação Nacional, prometida pela Secretaria Especial de Portos em Dezembro de 2013, repousa em uma gaveta sem fundo da SEP.

O porte de armas, dos Guardas Portuários, garantido pela 10.826/2003, foi sumariamente VETADO pela Presidenta Dilma pela terceira vez, com os argumentos mais esdrúxulos que se possa imaginar. Contraditoriamente em sua justificativa em desarmar o Brasil, a Presidenta sanciona, merecidamente, o porte para 70.000 agentes penitenciários e acaba de sancionar novo porte de armas para um sem números de Guardas Municipais, enquanto que os 1.500 Guardas Portuários, vivem em ambiente hostil em fronteira internacional, onde circulam 95% de toda a riqueza nacional.
É tempo de se recomeçar a valorizar, atentar para a fragilidade de uma corporação de 1.500 homens e mulheres que, por 24h, 365 dia ao ano, guarnecem nossas fronteiras molhadas comerciais.
Queremos contribuir, queremos ser reconhecidos, valorizados e respeitados, a começar nos concursos que são protelados ou não são conduzidos de forma adequada.


Estamos aqui, não para denegrir, mas para contribuir, fortalecer a farda que vestimos e o compromisso que assumimos com os portos do Brasil.

Marco Jamil
Guarda Portuário Federal/RJ

11 comentários:

igor disse...

caro Marco Jamil
acho q sua briga pela guarda portuaria federal mais do que justa, so gostaria de lhe informar que quem passou informacoes sobre concurso da guarda portuaria de Sao Francisco nao lhe passou a veracidade, eu entrei com acao antes da realizacao do teste fisico, por varios motivos e o maior pela duplicidade do que pedia e elaboracao do edital e outros, sobre tumulto no exae ouve pessoas que chegaram com atestado citando q estava apto a fazer exame fisico e nao especifico aquele teste ai nao puderam fazer, e um desses rapazes entrou em atrito com um dos fiscais , o mesmo baixinho q tenho gravados em videos, nada mais que isso, e caso das meninas , foi somente 1 que foi colocada para fazer o teste de 2400 para outro dia, sendo que no edital cita que todos exercicios tereiam que ser feitos no mesmo dia, e essa pessoa e estagiaria do porto, so pra esclarecer que lhe passaram informacoes nao concretas, segue link de um dos videos que tenho
https://www.facebook.com/photo.php?v=683517881722955&set=vb.100001942495881&type=2&theater

e como citei no inicio , estamos juntos na briga, mesmo nao sendo um no momento, o que precisar fazer pela briga estou a ordem, abs
Igor Alves

igor disse...

caro Marco Jamil
acho q sua briga pela guarda portuaria federal mais do que justa, so gostaria de lhe informar que quem passou informacoes sobre concurso da guarda portuaria de Sao Francisco nao lhe passou a veracidade, eu entrei com acao antes da realizacao do teste fisico, por varios motivos e o maior pela duplicidade do que pedia e elaboracao do edital e outros, sobre tumulto no exae ouve pessoas que chegaram com atestado citando q estava apto a fazer exame fisico e nao especifico aquele teste ai nao puderam fazer, e um desses rapazes entrou em atrito com um dos fiscais , o mesmo baixinho q tenho gravados em videos, nada mais que isso, e caso das meninas , foi somente 1 que foi colocada para fazer o teste de 2400 para outro dia, sendo que no edital cita que todos exercicios tereiam que ser feitos no mesmo dia, e essa pessoa e estagiaria do porto, so pra esclarecer que lhe passaram informacoes nao concretas, segue link de um dos videos que tenho
https://www.facebook.com/photo.php?v=683517881722955&set=vb.100001942495881&type=2&theater

e como citei no inicio , estamos juntos na briga, mesmo nao sendo um no momento, o que precisar fazer pela briga estou a ordem, abs
Igor Alves

Michell Ribeiro disse...

eu estava no local do TAF e presenciei todos os fatos editados pelo blog, todas as informações são fundamentadas em fatos testemunhas e provas físicas, concretas e incontestáveis. parabéns ao autor da matéria e do blog

João Henrique Oliveira Vianna Filho disse...

Caro Marco Jamil, gostei da publicação, e estou aqui porque fui um dos aprovados no concurso da guarda e nós os aprovados estamos sendo muito prejudicados por causa dessa paralisação do concurso, já que todos nós que passamos nos preparamos com antecedência tanto para a prova escrita quanto para a prova física, TAF, tudo que foi feito na prova física que é a questão aqui, estava no edital, foi seguido corretamente. Desde o princípio todos que se inscreveram para o concurso deveriam ter lido o edital e visto tudo que é importante, todos os detalhes e desde o princípio também deveriam ter se preparado muito bem para as provas físicas pois todos sabiam, segundo os índices que estavam no edital que não seriam fáceis, e portanto treinado para fazerem índices além daqueles estabelecidos; pois sabemos que em concurso, na parte física tudo é cobrado e nesse não seria diferente ainda mais com esse nível de dificuldade, por isso falo pelo aprovados, que todos se prepararam para fazerem índices superiores aqueles estabelecidos, porque ninguém queria correr o risco de por qualquer infelicidade de qualquer gênero que fosse, seja pela contagem do avaliador seja por outro motivo, perder a sua vaga. Por isso caro Jamil contamos com seu apoio nessa luta, pois todos nós, os aprovados lutamos por isso e não é justo após todo nosso esforço, termos que refazer uma coisa que já fizemos e fomos aprovados.

Gustavo Rotta de Camargo disse...

O Sr. Igor já havia entrado com ação, pois considerava muito elevados os índices do taf. Mesmo conhecendo o edital, se inscreveu no concurso, entrou com ação contra os índices exigidos no edital. Essa ação foi indeferida pelo Juiz da Comarca de SFS. Julgado improcedente o pedido de redução dos índices do teste, o Sr. Igor passou a acusar os examinadores de não avaliarem de forma isonômica as atividades. Não vejo razão para os avaliadores priorizarem um candidato em detrimento de outro e também não há que se duvidar de sua competência como profissional para avaliar os testes. Ademais o certame previa os meios de se entrar com recurso em todas as fases. Podem também os candidatos buscar o meio judicial para tentar desfazer a injustiça que acreditam estar sendo vítimas. Não houve irregularidades no concurso e isso será apurado na Ação Civil Pública que tramita na comarca de São Francisco do Sul, obrigado pela oportunidade de levarmos ao conhecimento da comunidade que o certame foi lícito, difícil, mas lícito.

Gustavo Rotta de Camargo disse...

No dia 23/05/2014 o Sr Igor Alves entrou com ação solicitando sumariamente anulação da classificação da prova escrita e mudança nos índices do taf: Foi indeferido seu pedido.
Portanto, inexiste, ao menos em sede de cognição sumária,
justifcativa a amparar o pleito formulado pelo autor no sentido de que a interpretação do
item 5.16.6., alínea “a”, do edital seja interpretado de forma diversa, sobretudo se
considerada a validade da exigência de realização de exame físico para o cargo no qual o
autor está concorendo, não havendo que se falar em desrespeito à finalidade do edital.
O edital, data venia, foi claro em estabelecer que a pontuação
mínima deve ser atingida em todas as provas, por óbvio, em cada uma delas, não havendo
o que se falar em dubiedade.
Asim, diante das razões alhures expendidas, igualmente não
há que se falar no acolhimento do pleito de reserva de vaga em favor do autor.
Em razão do exposto, ausente a verosimilhança das
alegações, indefiro o pedido de antecipação dos efeitos da tutela.
Intimem-se.
Citem-se para, querendo, apresentarem resposta, no prazo e
com as advertências legais.
São Francisco do Sul (SC), 23 de maio de 2014.
Marlon Negri
Juiz de Direito

Wellington Ribeiro disse...

Em resposta ao igor, o engraçado que os candidatos que levaram o exane de acordo com o edital realizaram o TAF. em questão aos exercicios eu treinei a baixo de chuva e com limites acima do maximo!!! Eu nao fui la no dia para fazer 6 barras, ou se estava chovendo tendo terremoto pegando fogo, que realmente queria um futuro promisso treinou e fez acontecer!A indignação vem pelo fato dos reprovados estar falando tanta mentira sobre o caso! Na proxima treinem maiss !!!

Gustavo Rafalski disse...

Excelente matéria, Marco Jamil!!
E ao contrário de alguns comentários que aqui estão expressos, retrata sim como realmente ocorreu este certame.
Lembro que quando fiz minha inscrição para este concurso além de dedicar muitas horas para estudar o conteúdo, também comecei a me preparar para o teste físico três meses antes do mesmo acontecer, haja vista que li o edital e sabia que para conseguir passar neste TAF teria que treinar muito.
Quando vi que minha nota na prova objetiva foi boa, intensifiquei ainda mais os treinamentos para o teste físico. Realizei este TAF no sábado dia 24/05 onde apresentei o atestado conforme pede no edital (5.16.7. Os candidatos deverão comparecer em data, local e horário a serem determinados em edital próprio, conforme item 5.16.2.b, com roupa apropriada para a prática de atividade física, munidos do documento de identidade original, ou correspondente, com foto, bem como de atestado de saúde, emitido por profissional médico, atestando que o mesmo possui condições de saúde necessárias ao pleno desenvolvimento das atividades constantes do ANEXO III deste Edital.). Mesmo tendo treinado muito para o TAF estava com um frio na barriga no momento de realizar as provas, contudo, como havia realmente treinado muito consegui ser aprovados em todos os exercícios, e em seguida também fui aprovado no teste psicológico. Quando estava na expectativa de ser nomeado, algumas pessoas que reprovaram neste teste entraram com uma ação popular para embargar o concurso, até ai tudo bem, afinal é um direito deles, porém, quando li os argumentos destas pessoas que reprovaram fiquei muito chateado, uma vez que, candidatos que nem sequer conseguiram fazer uma barra (quando o mínimo para obter a provação era de 6 barras) estavam alegando critérios diferentes na contagem dos exercícios, entre outras várias alegações que quem esteve presente no TAF e leu o edital sabe que não procedem. Gostaria, assim como todos os aprovados que este embargamento fosse resolvido o quanto antes, pois muitos abandonaram empregos para se dedicar exclusivamente a este concurso, assim como gostaria que, se é que existe algum candidato que foi REALMENTE reprovado injustamente, que este dano seja reparado, porém peço que não utilizem argumentos improcedentes, como, por exemplo, os alegados até o momento, haja vista que quando nomeados, precisaremos agir como uma equipe e não como adversários!


Anderson de assuncao disse...

Para esclarecimento, cabe ressaltar que independente de resultado, devemos respeitar os que obtiveram apto nos testes de TAF, porem o blog deve respeitar e passar a verdade, sem manipular de acordo com os interesses da categoria. Primeiro, postem as fostos das meninas realizando o TAF na chuva, postem as fostos delas correndo debaicho de um temporal com a pista inundada. Segunda, as meninas não fizeram prova em área coberta reservada - fizeram sim a prova no corredor de passagem da arquibancada pára a pista. Informem que não teve controle de acesso ao local das provas e que qualquer pessoa poderia acessar realizar a prova, independente de ser candidato, pois não foram devidamente identificados como deve ser em caso de concursos. Sinceramente, concurso crivado de ilicitudes e de erros no processo administrativo. Não deve ter continuidade, desrespeito a quem faz concurso público. ME ADMIRA O SITE DAR MARGEM AS ILICITUDES E INTERPRETAÇÕES IMPARCIAIS.Acredito que os que já passaram devem ser contratados, com excessão da moça, que deve realizar todas as provas novamente, juntamente com todos os outros candidatos. Os já aprovados efetivados, qundo da realização das provas e reclassificação.

Cidral disse...

Presenciei varios candidatos que não treinaram e tentaram dar o jeitinho brasileiro de "vai que cola". O edital foi claro quanto as execuções " sem executar movimentos de pernas ou da
região abdominal; " para barra.Cara, me ralei de treinar focando nessa proibição, cheguei a colocar obstaculo durante os treinos para não flexionar o abdomem e as pernas com medo de não ser contado a execução. Nos treinos cada encostada desconsiderava o exercício. Agora ter de ouvir inverdades de quem não treinou é complicado. So digo uma coisa, na proxima treinem mais e não dependam de avaliador.

Cidral disse...

Quanto a identificação do candidato, há filmagem das execuções e basta confrontar com documentação com foto. Lembrando que foi solicitado documento de identificação com foto para realização do TAF.